EUA: acordos comerciais devem elevar padrões trabalhistas

O governo do presidente norte-americano, George W. Bush, está preparado para fazer mais nos acordos comerciais com Colômbia, Peru e outros países para melhorar as condições dos trabalhadores, disse a principal representante comercial dos EUA, Susan Schwab, na quinta-feira, 22, num sinal de que a Casa Branca se movimenta na direção da posição democrata nesta questão. "O que queremos por meio desses acordos comerciais não é somente um comércio livre e aberto, mas queremos ajudar a levantar os trabalhadores deles assim como os nossos", disse Schwab em entrevista ao canal de televisão C-SPAN, que vai ao ar no domingo. A Casa Branca não conseguiu aprovar acordos de livre-comércio com o Peru e a Colômbia no ano passado, pois a oposição democrata alegou que as cláusulas trabalhistas não eram fortes o bastante. Os democratas querem que os tratados incluam um compromisso obrigatório com os padrões internacionais de trabalho - como liberdade de associação e negociação coletivas e a eliminação do trabalho infantil. O governo Bush tem adotado uma abordagem diferente, a de encorajar os países a adotarem leis trabalhistas que estejam em linha com esses padrões e depois fazer acordos que obriguem as nações a cumprirem essas leis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.