Matt Dunham / AP
Matt Dunham / AP

ESG

Coluna Fernanda Camargo: É necessário abrir mão do retorno para fazer investimentos de impacto?

EUA adiam elevação de tarifas a produtos chineses de 1º de junho para 15 de junho

O aumento das barreiras tarifárias, diz o Escritório do Representante Comercial dos Estados Unidos, se refere a cerca de US$ 200 bilhões em bens da China

Monique Heemann, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2019 | 11h41

Os Estados Unidos adiaram a elevação das tarifas de 10% a 25% sobre produtos chineses, que ocorreriam em 1º de junho, para 15 de junho, segundo comunicado publicado nesta sexta-feira, 7, pelo Escritório do Representante Comercial dos Estados Unidos (USTR, na sigla em inglês). 

O aumento das barreiras tarifárias, lembra o documento, se refere a cerca de US$ 200 bilhões em bens da China. Segundo o USTR, a medida diz respeito aos produtos que foram exportados aos EUA e entraram para consumo, ou foram retirados de estoques para consumo, "em ou após 10 de maio" e "antes de 15 de junho".

Nesta quinta, 6, o presidente Donald Trump declarou que a aplicação de tarifas adicionais sobre US$ 300 bilhões em importações chinesa provavelmente serão feitas após a reunião do G20, que acontecerá nos dias 28 e 29 de junho no Japão.

Em visita à França para celebração do 75º aniversário do Dia D, Trump disse que pretende se reunir nas próximas semanas com o presidente da China, Xi Jinping, e "ver o que acontece".  

O Ministério do Comércio da China (MofCom, na sigla em inglês) voltou a afirmar nesta semana que acredita que as "diferenças e fricções" comerciais e econômicas com os EUA devem, "em última instância", ser resolvidas por meio de diálogo e consultas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.