EUA apelam contra sentença da OMC sobre tarifas de aço

Os EUA entraram com pedido de apelação na Organização Mundial de Comércio (OMC) contra uma setença emitida no mês passado pela organização, alegando que as tarifas sobre as importações de aço praticadas pelos EUA violam as leis de comércio mundial. A apelação foi feita hoje, horas antes de uma reunião que adotaria formalmente a sentença, disse uma autoridade da OMC à agência Dow Jones. A reunião foi adiada até que se conheça o resultado da apelação. No mês passado, em um relatório de quase mil páginas, um painel de peritos em comércio da OMC disse que as tarifas de salvaguarda de até 30% introduzidas pela administração do presidente George W. Bush, em março do ano passado, estavam em desacordo com as regras da OMC. Bush justificou que as tarifas eram necessárias para proteger os produtores domésticos de aço. O painel concluiu que os EUA não conseguiram provar que sua indústria de aço foi prejudicada por importações baratas de aço. A OMC disse ainda que os EUA agiram ilegalmente ao excluir importações de países com os quais possui acordo de livre comércio - Canadá, México, Israel e Jordânia. A sentença foi emitida após reclamação conjunta feita pela União Européia, Brasil, Japão, Coréia do Sul, Noruega, Suíça, China e Nova Zelândia.

Agencia Estado,

11 de agosto de 2003 | 12h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.