EUA apoiam 'ação decisiva' para crise do euro, diz Obama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reiterou seu apoio a uma "ação decisiva" para resolver a crise da dívida na zona do euro, durante conversações nesta terça-feira com o primeiro-ministro italiano, Mario Monti, informou a Casa Branca.

Reuters

31 de julho de 2012 | 21h44

As conversas com Obama se concentraram nos desdobramentos econômicos na zona do euro, de acordo com a Casa Branca.

Autoridades dos Estados Unidos temem que uma derrocada econômica na Europa por causa da crise da dívida possa enfraquecer ainda mais a já frágil economia norte-americana antes das eleições presidenciais e legislativas de 6 de novembro.

Segundo a Casa Branca, Obama está em contato constante com líderes da Europa em relação ao estado da economia europeia. O comunicado da Casa Branca salientou que as autoridades europeias têm dito que estão comprometidas com a preservação do euro.

(Reportagem de Donna Smith)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROOBAMAMONTI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.