carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

EUA: Bancos precisam de até US$ 640 bi para atender a exigências de capital

Na última semana, o Fed divulgou que 15 dos 19 bancos americanos submetidos aos testes de estresse foram aprovados

Andréia Lago, da Agência Estado,

20 de março de 2012 | 13h38

NOVA YORK - A agência de classificação de risco Standard & Poor's (S&P) alertou, em relatório, que os esforços para fortalecer a retenção de lucros, elevar capital e reduzir os ativos de risco em relação ao ano passado foram concluídos entre os maiores bancos dos Estados Unidos, uma vez que a maioria passou nos testes de estresse conduzidos pelo Federal Reserve, mas esses esforços poderão limitar os aumentos necessários de capital desses bancos.

Na última semana, o Fed divulgou que 15 dos 19 bancos americanos submetidos aos testes de estresse foram aprovados, e autorizou 14 dessas instituições a levarem adiante seus planos de capitalização. "Acreditamos que as distribuições mais agressivas de lucros irão adiar os objetivos de levantar o capital necessário para cumprir as exigências de capital mínimo definidas pelo acordo de Basileia III e sustentar o crescimento dos empréstimos", alerta a S&P.

Segundo o analista de crédito da S&P Matthew Albrecht, as necessidades de capital projetadas pela agência para os bancos americanos atenderem às exigências de capital de Basileia III variam de US$ 415 bilhões a US$ 640 bilhões sob diversos cenários que incluem um esperado aumento nos empréstimos até 2019. "Esperamos que a revisão do Fed tenha implicações neutras a negativas para os ratings desses bancos, dependendo das ações de capital que a gestão dessas instituições adotar e do impacto que elas terão sobre suas avaliações de lucro e capital", diz Albrecht.

Segundo o analista, os ratings desses bancos poderão ser pressionados se as instituições se tornarem mais agressivas na sua gestão de capital como consequência de resultados favoráveis desses testes de estresse do Fed e se as taxas projetadas de capital ajustado ao risco caírem abaixo das faixas que a S&P avalia como consistentes com os resultados atuais de capital e lucros desses bancos. "Alternativamente, se as ações de gestão de capital ficarem praticamente em linha com nossas expectativas após os bancos receberem aprovação do Fed para distribuir dividendos, esperamos que o impacto sobre os ratings seja neutro", afirmou. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
estados unidosbasileiacapital

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.