EUA crescem 4,9%, mas risco de recessão aumenta

Os Estados Unidos cresceram 4,9% no terceiro trimestre, de acordo com a última revisão do Produto Interno Bruto (PIB), divulgada ontem pelo Departamento do Comércio. A expansão foi a maior desde o terceiro trimestre de 2003, mas, segundo analistas, não afasta o risco de uma recessão em 2008. David Wyss, economista-chefe da agência de classificação de risco Standard & Poor?s, acredita que há 40% de probabilidade de recessão, enquanto outros analistas de Wall Street estimam em 50% ou mais.O ex-presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) Alan Greenspan afirmou recentemente que as chances de uma recessão (dois trimestres consecutivos de crescimento negativo) estão "aumentando claramente". Segundo ele, o país se aproxima da estagnação econômica.Embora a recessão ainda seja uma possibilidade, existe um consenso entre os analistas de que os Estados Unidos sofrerão uma forte desaceleração.No terceiro trimestre deste ano, os investimentos fixos residenciais, componente do PIB que inclui os gastos com habitação, despencaram 20,5%, queda maior do que os 19,7% estimados anteriormente. O recuo tirou 1,08 ponto porcentual do PIB. Anteriormente, o Departamento do Comércio havia estimado perda de 1,03 ponto.O declínio de 20,5% foi o maior desde os 21,7% no primeiro trimestre de 1991. O maior componente do PIB, os gastos com consumo, aumentou 2,8%, acima dos 2,7% estimados antes. AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.