EUA criam fundo de US$ 100 bi para a crise

Em plena semana de reunião anual do Fundo Monetário Internacional (FMI), o chamado ?superfundo de resgate aos bancos? está roubando a cena. Ontem, um grupo de bancos norte-americanos, entre eles Citigroup, Bank of America e JP Morgan, anunciou a criação de um fundo de cerca de US$ 100 bilhões para conter o estrago da crise de hipotecas de risco nos EUA (subprime). Esse fundo, batizado de Master Liquidity Enhancement Conduit (Fundo Master de Aumento de Liquidez) vai comprar papéis de curto prazo de fundos que não conseguem compradores e correm o risco de quebrar. Segundo o International Institute of Finance (IIF), a ?Febraban mundial?, o total desses papéis de curto prazo pode chegar a US$ 400 bilhões.A criação do superfundo está sendo coordenada pelo Tesouro norte-americano. No olho do furacão estão os chamados SIV (structured investment vehicles, ou veículos de investimentos estruturados). Os SIVs são fundos que emitem papéis de curto prazo e usam os recursos levantados para investir em títulos lastreados em hipotecas, em dívidas de cartão de crédito ou debêntures de empresas médias, que garantem retorno mais alto. Muitos desses fundos são ligados a grandes bancos, mas mantidos independentes, para que os riscos não entrem no balanço das instituições financeiras.O super fundo vai comprar títulos dos SIVs. ?Esses esforços vão ajudar a organizar os mercados de capitais?, disse ontem o secretário americano do Tesouro, Henry Paulson. Os bancos esperam que o fundo esteja funcionando em 90 dias. Segundo Tran, ?o superfundo vai tentar restabelecer a oferta e a demanda para esses papéis, ajudando a estabilizar o mercado?. Em última instância, o objetivo é convencer investidores a voltarem a comprar esses papéis de curto prazo emitidos por SIVs. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

16 de outubro de 2007 | 08h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.