EUA criam limitações para Alca, afirma Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira que a decisão dos Estados Unidos de não aceitar a discussão sobre subsídios agrícolas "cria evidentes limitações nas negociações" para a Alca. Ele afirmou, no seminário sobre a participação dos legisladores na negociação da Alca, na Câmara, que não quer uma política de "confrontação pela confrontação para atender o discurso ideológico de quem quer que seja".Segundo ele, o objetivo do Brasil é obter uma Alca equilibrada. "Queremos uma Alca que não impeça e nem imponha", afirmou. "O foco não é discutir sim ou não à Alca, mas qual a Alca que nos interessa".O presidente reclamou que nas negociações da Alca não surgiu uma proposta de apoio ao desenvolvimento dos países mais pobres, diferentemente das negociações da União Européia, nas quais foram criados fundos com recursos dos países mais ricos para reduzir as desigualdades entre as nações. "Na América do Sul, nós temos muito mais pobreza e países muito mais pobres que Espanha, Grécia e Portugal", afirmou.O presidente disse que o governo pretende fazer muitas reuniões com países que têm posições afinadas com a do Brasil. "Porque temos consciência de que o que não for resolvido na Alca, poderá ser resolvido na OMC, onde o debate pode ser mais eficaz, mais democrático e com muito mais interesses em jogo", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.