EUA desabilita duas plantas frigoríficas do Brasil

A lista de 22 frigoríficos habilitados a exportar carne bovina industrializada para os Estados Unidos foi reduzida para 20 por técnicos do governo norte-americano que estiveram em vistoria no País nos últimos 15 dias. Ontem, os técnicos informaram que as duas plantas que deixaram a lista não atenderam a regras exigidas para vender ao mercado dos Estados Unidos. "A desabilitação não atrapalha o ritmo de exportação de carne para o mercado americano", disse Inácio Kroetz, secretário de defesa agropecuária do Ministério da Agricultura.O secretário embarca para Washington na próxima semana, quando terá acesso ao relatório completo feito pelos técnicos dos Estados Unidos. Segundo Kroetz, as duas plantas desabilitadas poderão voltar a exportar para o mercado americano, após atenderem as exigências e passarem por nova inspeção.Apesar de o secretário não confirmar o nome da empresa ou das empresas que foram suspensas, fontes do mercado informaram que o Marfrig teve duas de suas unidades reprovadas pela missão norte-americana. A assessoria de imprensa da empresa informou que o grupo não havia recebido nenhum tipo de comunicado oficial até o final desta manhã.Ainda sem saber os reais motivos da restrição, alguns corretores consideram que essa possa ser uma estratégia para derrubar os preços da carne brasileira. De janeiro a junho, o Brasil exportou para os Estados Unidos 26,4 milhões de toneladas a um preço médio de US$ 5.397,16 por tonelada. Em volume, as exportações do primeiro semestre recuaram 22% em comparação ao mesmo período do ano passado, mas o preço médio da tonelada de carne vendida para os americanos subiu 12% no período.

ALEXANDRE INACIO E FABIOLA SALVADOR, Agencia Estado

30 de julho de 2008 | 13h33

Tudo o que sabemos sobre:
carnefrigoríficosEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.