coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

EUA e Argentina receberão grandes investimentos da Petrobras

Estados Unidos e Argentina são os países que vão receber mais investimentos no exterior da Petrobras, entre os US$ 8,2 bilhões já decididos, segundo o plano da Companhia para 2007-2011. Mais US$ 3,9 bilhões estão reservados pela área internacional da companhia para novos negócios ainda não fechados.Estão previstos investimentos de US$ 2,72 bilhões nos Estados Unidos, US$ 2,37 bilhões na Argentina, US$ 1,81 bilhão na região da Nigéria e de Guiné, US$ 460 milhões na Venezuela, US$ 210 milhões no Peru e US$ 120 milhões no Equador.Os investimentos na Bolívia foram tão reduzidos que nem aparecem individualmente nos gráficos da companhia distribuídos à imprensa. Eles estão incluídos na parcela intitulada "outros" com os que vão para Paraguai e Uruguai, com o conjunto de países somando 4% dos US$ 2,8 bilhões previstos para o Cone Sul no período ou cerca de US$ 112 milhões, perto do que o Equador receberá sozinho. Na Bolívia, só estão sendo mantidos investimentos já em andamento para a Petrobras no Brasil receber os 30 milhões de metros cúbicos por dia pelos quais tem que pagar até 2019, use ou não, conforme contratou antes do início do governo Evo Morales na Bolívia.A Argentina é o destino de 84% dos investimentos previstos para o Cone Sul no período e os Estados Unidos respondem por metade dos US$ 5,4 bilhões destinados a outras partes da América, África, Europa e Ásia.Por setor, 70% dos US$ 12,1 bilhões de investimentos previstos para 2007-2011 no exterior, incluindo os ainda não fechados, vão para exploração e produção. Outros 25% devem ir para atividades de refino, transporte e comercialização. A área de gás e energia deve responder por 2% dos investimentos internacionais no período e petroquímica, distribuição e área corporativa com fatias de 1% cada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.