Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

EUA e commodities reforçam otimismo e Bovespa sobe 1,2%

Novos sinais de que a economia norte-americana deixou a recessão para trás motivaram outra onda de compras nos mercados de ações, movimento seguido pela bolsa paulista, que chegou perto das máximas de 2009.

ALUÍSIO ALVES, REUTERS

20 de agosto de 2009 | 18h32

O Ibovespa subiu 1,2 por cento, para 56.831 pontos, também suportado pelo efeito positivo da alta das commodities sobre companhias domésticas de matérias-primas.

Na realidade, nem todos os dados desta quinta-feira apontaram na mesma direção. No começo do dia, o anúncio de um aumento inesperado no volume de pedidos de seguro-desemprego nos EUA colocou os investidores em alerta.

Mas outros índices divulgados em seguida logo desanuviaram o cenário dos mercados, incluindo o de principais indicadores da economia dos EUA, que aumentou em julho pelo quarto mês seguido. Outro medidor apontou que a atividade manufatureira da região do Meio-Atlântico do país passou para o território positivo em agosto, interrompendo 10 meses de contração.

Resultado: o índice Dow Jones da Bolsa de Nova York teve valorização de 0,76 por cento.

Outra fonte externa de otimismo foi a recuperação da bolsa chinesa, com o esvaziamento dos rumores de que o governo local tomaria medidas para restringir o crédito. A melhora abriu espaço para recuperação dos preços das commodities.

No caso das empresas ligadas a metais, o cenário ficou ainda melhor depois que a World Steel Association, entidade mundial do setor, reportou dados preliminares mostrando que a produção mundial de aço atingiu a máxima do ano em julho.

Com isso, o papel preferencial da Usiminas foi um dos destaques de alta do Ibovespa, subindo 2,5 por cento, para 46,85 reais. A preferencial da Vale ganhou 1 por cento, cotada a 32,46 reais.

Ganhos pontuais acentuados deram força adicional ao índice. O principal deles foi VCP, que deu deu um salto de 8,1 por cento, a 31,09 reais, depois de rumores de que a companhia estaria prestes a anunciar um aumento dos preços da celulose de fibra curta a partir de 1o de setembro. A companhia não se manifestou oficialmente a respeito.

Outro destaque foi Embraer, com valorização de 2,1 por cento, valendo 10,16 reais. A fabricante de aeronaves informou nesta quinta-feira ter recebido sinal verde dos EUA vender aviões comerciais à Venezuela com peças da indústria norte-americana.

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.