finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

EUA e México acertam o corte de subsídios da China

Os Estados Unidos e o México obtiveram o fim de parte dos subsídios chineses para indústrias exportadoras, após uma disputa na Organização Mundial do Comércio (OMC). Os dois países alegaram que a competitividade dos produtos chineses era decorrente da ajuda estatal aos setores têxteis, tecnológicos, aço, autopeças e calçados. O acordo foi assinado ontem, em Genebra, e passa a valer em janeiro.Os chineses concordaram em acabar com cerca de 12 programas de subsídios que incentivavam as exportações e dificultavam as importações. Esses programas criavam barreiras ao comércio de empresas estrangeiras estabelecidas na China. México e EUA estão sendo pressionados por seus empresários a tomar medidas contra a invasão de produtos chineses. Em 2006, o déficit americano com a China foi de US$ 232 bilhões. Para Susan Schwab, representante de Comércio dos EUA, o acordo foi uma "vitória de produtores e trabalhadores".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.