R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

EUA e Reino Unido preparam plano para comércio, diz 'WSJ'

Segundo o 'Wall Street Journal', a iniciativa custaráa 'bilhões' e será anunciada na reunião do G-20, em Londres

AE

11 de março de 2009 | 08h48

Os EUA e o Reino Unido estão se unindo na formulação de um plano global para conceder centenas de bilhões de dólares em financiamento comercial com o objetivo de combater a mais forte contração do comércio mundial desde a Grande Depressão. Fontes oficiais britânicas e norte-americanas disseram ao 'Wall Street Journal' que a iniciativa será anunciada no dia 2 de abril, durante a reunião do G-20, em Londres. Não se sabe até que ponto o plano será detalhado na ocasião. Veja também: De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise   Pela proposta, o dinheiro viria do G-20, que inclui países ricos e os grandes países em desenvolvimento. O grupo destinaria metade do dinheiro para aumentar o orçamento de suas próprias agências de financiamento comercial, o que ajudaria a garantir as exportações. A outra metade iria para o Banco Mundial, bancos de desenvolvimento regionais e o Fundo Monetário Internacional (FMI), a fim de ajudar a financiar as exportações dos países mais pobres do mundo, que geralmente vendem para os EUA e a Europa. "Temos um projeto que convoca todos a trabalharem juntos", disse uma autoridade sênior dos EUA. Na sexta e no sábado, ministros das finanças e presidentes de bancos centrais do G-20 vão se reunir a fim de preparar o caminho para os chefes de governo.A iniciativa mostra como o presidente dos EUA, Barack Obama, está tentando se posicionar nas questões comerciais. Embora durante a campanha ele tenha se apresentado como um opositor de muitos acordos de livre comércio, no governo ele tem se comportado de forma diferente, levando o Congresso a modificar as cláusulas "Buy America" no pacote de estímulo econômico. As cláusulas davam preferência às empresas norte-americanas.Na reunião de Londres, Obama e outros líderes planejam formar uma frente unida contra o protecionismo. Os líderes querem que a Organização Mundial do Comércio (OMC) seja responsável por monitorar e divulgar as medidas protecionistas. Eles esperam que isso leve os países a recuar de qualquer novo subsidio ou de outras restrições comerciais. O Banco Mundial estima que a queda na demanda dos países ricos produzirá o primeiro declínio anual do comércio mundial desde 1982, e a maior queda em 80 anos. Segundo o Banco, que usou números não ajustados à inflação, dos 51 países que apresentaram os dados do quarto trimestre do ano passado, 36 mostraram quedas de dois dígitos nas exportações, comparadas às do ano anterior.Em outubro, a Índia registrou pela primeira vez em sua história uma queda nas exportações em relação às do mesmo mês do ano anterior. No Camboja, os fabricantes de vestuário, principal artigo de exportação do país, dispensaram 30 mil trabalhadores, ou 10% de sua força de trabalho.A crise de crédito global piorou o problema ao elevar o custo do financiamento comercial e reduzir sua disponibilidade. O relatório do Banco Mundial, citando dados da Dealogic, diz que o financiamento comercial mundial encolheu em cerca de 40% no último trimestre de 2008, comparado a igual período de 2007.

Tudo o que sabemos sobre:
G-20protecionismocomércio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.