coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

EUA e UE mostram compromisso de fechar rodada de Doha

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e os líderes da União Européia (UE) ratificaram nesta quarta-feira o compromisso de concluir com sucesso a Rodada de Doha para a liberalização do comércio mundial no final de 2006.As duas partes colocaram suas intenções na declaração final da cúpula bilateral realizada nesta quarta, em Viena, na qual pedem que os membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) façam todos os esforços necessários para conseguir um acordo "ambicioso e equilibrado".O texto afirma ser necessário que os responsáveis de Comércio da OMC alcancem progressos substanciais nas principais áreas de negociação nas próximas semanas, "para garantir que não se perca esta oportunidade histórica para a liberalização do comércio".Os Estados Unidos estão dispostos a fazer sua parte, segundo Bush, que afirmou que será uma tarefa difícil, porque "tentamos fazer ajustes difíceis" nas políticas internas para conseguir "um acordo que seja justo para todos".Apesar das dificuldades, "não podemos deixar que a rodada fracasse", porque isso representaria perder uma grande oportunidade para combater a pobreza, ressaltou o presidente americano em entrevista coletiva no final da cúpula.Possibilidade Por parte da UE, o presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, se mostrou convencido de que, após as discussões desta quarta, "é possível conseguir um resultado positivo" nas negociações de Doha.Segundo Durão Barroso, também é "crucial" conseguir isso, não só do ponto de vista do comércio, mas também no âmbito do desenvolvimento.As negociações estão neste momento em uma fase "decisiva", e a UE e os Estados Unidos "têm a responsabilidade conjunta" de negociar um acordo satisfatório que favoreça o crescimento e a prosperidade, segundo Barroso.Passo à frenteA próxima semana poderia representar mais um passo à frente, na reunião que realizarão em Genebra grande parte dos responsáveis de Comércio dos países membros da OMC, a partir do próximo dia 29.O diretor-geral da Organização, Pascal Lamy, definiu essa data para tentar alcançar acordos nas fórmulas e números que permitam aos membros da OMC calcular o nível de reduções tarifárias que teriam que aplicar a suas importações agrícolas e industriais.Se esse objetivo for alcançado, haveria o caminho para que em 31 de julho se pudessem conseguir acordos semelhantes em serviços, outra área fundamental das negociações da Rodada do Desenvolvimento de Doha (2001), que em teoria deve terminar no final de 2006.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.