EUA estão mais confiantes em sucesso de Doha, diz assessor

O governo dos Estados Unidos está maisconfiante em um sucesso da Rodada de Doha de negociaçõescomerciais, depois de uma reunião em Brasília com o ministrodas Relações Exteriores, Celso Amorim, e com a ministra-chefeda Casa Civil, Dilma Rousseff, disse na quinta-feira o assessoreconômico da Casa Branca, Allan Hubbard. "Os brasileiros indicaram que estão tão comprometidosquanto nós para fazer Doha funcionar", afirmou Hubbard àReuters. "Eles reconheceram como isso é importante não apenas para asua economia, mas para a economia mundial". A Rodada de Doha foi lançada em 2001, mas um acordo temsido atrasado em função de grandes diferenças nas posições dospaíses sobre como reduzir barreiras para bens industriais eprodutos agrícolas. Os países em desenvolvimento pressionam as nações ricaspara que realizem cortes nos seus subsídios e tarifasagrícolas. Hubbard não forneceu detalhes das negociações, se o Brasilteria se comprometido com propostas da Organização Mundial deComércio (OMC) anunciadas em julho. Os negociadores estão trabalhando em busca de uma propostaque consiga equilibrar as regras de comércio global. As tarifas e subsídios agrícolas têm sido as áreas maiscontroversas da rodada. Mas as negociações agora estãoconcentradas em produtos manufaturados. Brasil, Índia, África do Sul e outros países emdesenvolvimento pediram nesta semana mais exceções em relaçãoaos cortes propostos para as tarifas sobre produtosindustriais. Autoridades norte-americanas e européias disseram que asexigências dos países em desenvolvimento ameaçariam asnegociações multilaterais.

RAYMOND COLITT, REUTERS

11 de outubro de 2007 | 18h50

Mais conteúdo sobre:
DOHAEUAASSESSOR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.