EUA estudam criar agência para proteger consumidores

O grau adequado de poder a ser dado à agência e o modo como ela seria financiada ainda devem ser definidos

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

21 de maio de 2009 | 14h12

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, disse que a administração do presidente Barack Obama estuda a criação de uma agência para proteger os consumidores, mas acrescentou que o grau adequado de poder a ser dado à agência e o modo como ela seria financiada ainda devem ser definidos. "Estudamos os méritos de estabelecer uma nova comissão independente ou uma agência para ajudar a oferecer regras mais fortes para proteger os consumidores e acentuar a supervisão de tais regras", afirmou Geithner em um painel da Câmara.

  

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

Ele acrescentou que a administração ainda não concluiu vários detalhes importantes. "Mas esperamos apresentar as propostas quando estiverem prontas", disse, observando que pretende divulgá-las "nas próximas semanas", como parte dos esforços da administração para reformular o sistema financeiro dos EUA.

Geithner afirmou também que o Tesouro não pode reciclar os recursos do resgate financeiro, respondendo a temores de que o Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp, em inglês) se transformaria em uma porta giratória, apesar de o déficit do orçamento continuar crescendo. "Não é um programa permanente, não podemos permanentemente reciclar estes programas", disse Geithner.

Entretanto, acrescentou, o Tesouro tem por enquanto flexibilidade legal para colocar os fundos que estão sendo devolvidos ao Tarp novamente à disposição. "A prudência exige que utilizemos a flexibilidade que a lei oferece" para reforçar os programas de resgate do governo, os quais foram criados para aumentar a disponibilidade de crédito e recuperar os mercados financeiros e a economia, disse. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
consumidorEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.