Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

EUA: Fed mantém taxa de redesconto em 0,75%

A diretoria do Federal Reserve resolveu nesta terça-feira manter a taxa de redesconto inalterada em 0,75%, mas a decisão não foi unânime. Os Feds da Filadélfia, Kansas City e Dallas queriam elevar a taxa para 1,00%, enquanto o Fed de Minneapolis surpreendeu ao defender um corte para 0,50%.

AE, Agencia Estado

15 de outubro de 2013 | 15h41

Mesmo assim, há poucas chances da taxa ser alterada antes do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) anunciar uma mudança na sua postura geral em relação à política monetária. Sob os termos do regimento do banco central norte-americano, a diretoria de cada uma das 12 distritais define qual seria sua taxa de redesconto, mas a diretoria geral do Fed tem a palavra final sobre a decisão.

O spread da taxa de redesconto - que é a taxa cobrada pelo Fed em empréstimos emergenciais para os bancos - em relação à taxa dos fed funds está em 50 pontos-base desde o início de 2010. No comunicado divulgado hoje, o Fed afirmou que os membros da diretoria que defendem uma redução na taxa de redesconto "acreditam que uma situação mais acomodatícia ajudaria a impulsionar os objetivos macroeconômicos do Fomc de pleno emprego e estabilidade de preços". Já os membros que pretendem elevar a taxa de redesconto querem que o spread em relação à taxa dos fed funds volte para o nível histórico de 100 pontos-base.

As avaliações em relação à situação da economia dos EUA foram basicamente as mesmas detalhadas na ata da reunião de setembro do Fomc. Embora alguns membros acreditem que a recente alta dos juros das hipotecas tenha prejudicado a atividade no mercado imobiliário, outros acham que a recuperação do setor não foi afetada. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAFedredescontotaxa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.