EUA injetam US$ 200 bi no mercado de hipotecas

O governo dos Estados Unidos deu ontem sinal verde para que as agências hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac comprem mais hipotecas residenciais. A medida, somada às que vêm sendo tomadas pelo Fed (Federal Reserve, banco central americano), visa a dar liquidez ao mercado e evitar a derrocada de instituições em meio à crise de crédito. O Escritório de Supervisão das Empresas Habitacionais Federais, órgão regulador das agências Fannie Mae e Freddie Mac, reduziu a exigência de capital extra das duas empresas de 30% para 20%, em um esforço para impulsionar o mercado imobiliário dos EUA. A medida deve permitir a oferta de até US$ 200 bilhões em liquidez imediata para títulos lastreados em hipotecas. Em troca, as agências se comprometem a levantar capital para aumentar o financiamento ao mercado de hipotecas residenciais.Na semana passada, o Fed e outros bancos centrais já haviam anunciado medidas para elevar a liquidez mundial em cerca de US$ 250 bilhões. O Fed anunciou a troca de títulos lastreados em hipotecas por títulos do Tesouro no valor de até US$ 200 bilhões, por 28 dias. Ampliou também acordos que elevam em US$ 12 bilhões o volume de dinheiro disponível para o Banco Central Europeu e o Banco Nacional Suíço. Esses dois bancos decidiram injetar cerca de US$ 21 bilhões no mercado, o banco da Inglaterra vai injetar US$ 20 bilhões e o Canadá, US$ 4 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.