EUA investigam vazamento do indicador de empregos

A Securities and Exchange Comission (Sec, a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA) e a Futures Trading Comission anunciaram que estão investigando um possível vazamento dos indicadores de emprego nos EUA em março, divulgados hoje às 8h30 em Washington (10h30 em Brasília). Dois minutos antes da divulgação oficial, investidores do mercado de câmbio e dos mercados à vista e de futuros de títulos do Tesouro dos EUA notaram um salto na atividade dos mercados.Repentinamente, os preços dos títulos público caíram e o dólar subiu frente ao euro e ao iene. "Notei na minha tela que os futuros de bônus caíram cerca de um ponto às 8h29. Muitas pessoas estavam gritando, às 8h29: ´O número saiu! O número saiu!´", disse Stephen Stanley, economista-chefe da RBS Securities.O Departamento do Trabalho inicialmente concentrou a investigação em um informe da agência de notícias britânica Reuters com os números do emprego, veiculado na internet pela Yahoo às 8h28 (de Washington). Um porta-voz da Reuters disse que a marcação de horário contida no informe estava incorreta e responsabilizou um "relógio com defeito" em Londres.Casos de vazamento de dados do governo dos EUA são raros, mas as autoridades são duras quando eles acontecem. Em novembro do ano passado, o economista John Youngdahl, da Godlam Sachs, declarou-se culpado. Ele poderá ficar até 41 meses preso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.