EUA já gastaram US$ 1 trilhão para combater crise de crédito

Quantia não resolve problemas do país, mas demonstra a disposição do governo em enfrentar a crise

Agências internacionais,

25 de março de 2008 | 10h00

O governo norte-americano gastou nas últimas semanas quase US$ 1 trilhão na tentativa de conter a crise de crédito que tomou conta do país. A quantia, apontada pelo colunista da agência Dow Jones Matthew Cowley, não resolve o problema, mas demonstra a disposição de Washington em enfrentar a crise de frente, disponibilizando grandes volumes de caixa.  Veja também:Após feriado, bolsas européias sobem, ajustando-se a NYCronologia da crise financeira  Entenda a crise nos Estados Unidos   O sobe e desce do dólar Veja os efeitos da desvalorização do dólar Uma das evidências desta disposição foi o socorro ao Bear Stearns, anunciado na semana passada pelo Federal Reserve. O BC dos EUA conseguiu que as equipes do JPMorgan Chase e do Bear negociassem um acordo extremamente complicado num prazo excepcionalmente curto e colocou, conforme o anúncio original, US$ 30 bilhões em dinheiro do contribuinte para apoiar o pacto. Além disso, o Fed anunciou nas últimas semanas três novos programas de auxílio, com saídas totais combinadas que potencialmente podem chegar a US$ 300 bilhões, destinados a ajudar bancos a levantar caixa no mercado aberto. Muitos títulos de dívida de alta qualidade estão envolvidos numa nuvem de suspeita por causa da turbulência do mercado e sua utilização tornou-se difícil; os bancos podem agora levá-los ao Fed e trocá-los (por um custo) por fundos ou títulos do Tesouro, que são facilmente aceitos como garantia ou usados para fins de financiamento. Os bancos nos EUA certamente parecem interessados em obter estes novos recursos. Os empréstimos pelas várias janelas do Fed dispararam na última semana, para um total de US$ 57,8 bilhões, segundo os dados semanais divulgados na quinta-feira. Só a janela de redesconto do Fed, uma fonte tradicional de dinheiro para os bancos, emprestou US$ 28,9 bilhões, ante US$ 27 milhões na semana anterior.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise dos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.