EUA não mudarão posição sobre abertura agrícola na OMC

A vitória do Brasil contra os subsídios dos Estados Unidos ao algodão não irá modificar a posição do governo norte-americano nas negociações para a abertura agrícola na Organização Mundial do Comércio (OMC), disse hoje o principal negociador dos EUA para temas agrícolas, Allen Johnson. Os 147 países da OMC tem até o final de julho para chegar a um entendimento sobre qual deverá ser o ritmo da liberalização no setor agrícola. "Não mudamos em nada nossa posição e iremos desafiar muitos aspectos do litígio (sobre o algodão)", afirmou Johnson. Na avaliação dele, a disputa "ainda irá correr por um bom tempo" antes da decisão final.Nesta sexta-feira, os 147 países da OMC concluíram mais uma etapa das negociações agrícolas e, mais uma vez, poucos avanços foram registrados. "Houve muita discussão e pouco avanço", disse o embaixador brasileiro Clodoaldo Hugueney, que passou grande parte da semana reunido a portas fechadas com Estados Unidos, Índia, Europa e Austrália. Segundo ele, o grupo conseguiu avançar nos debates sobre as tarifas agrícolas, mas temas como os subsídios à exportação e programas domésticos estão longe de um acordo.Diante do impasse, começa a ser cogitada uma nova reunião ministerial antes que mais um prazo na OMC não seja cumprido. Uma das possibilidades seria um encontro nas Ilhas Maurício no início do próximo mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.