EUA não querem ´etanolizar´ relação com Brasil, diz Shannon

O subsecretário de Estado americano para o Hemisfério Ocidental, Thomas Shannon, disse nesta terça-feira que os Estados Unidos não querem ´´etanolizar´´ a sua relação com o Brasil. De acordo com responsável pelas Américas do Departamento de Estado, a proximidade da visita do presidente George W. Bush ao Brasil e a do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Camp David no próximo dia 31 é positiva porque ambos os líderes ´´têm muito o que falar´´.Shannon afirmou que o memorando de entendimento na área de biocombustíveis firmado entre o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, e a secretária de Estado, Condoleezza Rice, foi um primeiro passo. Mas acrescentou que se trata de ´´dois grandes países, duas grandes democracias na região das Américas, com muitos interesses em comum não só na região, mas no mundo´´.O subsecretário disse que brasileiros e americanos podem ajudar a promover a estabilidade na região e em outras áreas também, e deu como exemplo a ´´cooperação que estão começando a promover na África, buscando áreas onde podem consolidar as instituições democráticas locais´´.Agenda cheia ´´O Brasil e os Estados Unidos podem mostrar, através de seu diálogo e cooperação, que são capazes de montar uma agenda internacional centrada em promover a liberdade individual, a prosperidade e o combate à pobreza.´´ Por isso, disse que Bush e Lula deverão ter ´´uma agenda cheia´´ em Camp David.Segundo Shannon, um dos temas que seguramente devem figurar na farta agenda dos dois líderes será a negociação para a retomada da Rodada de Doha de liberalização do comércio mundial. A parceria na área de etanol, segundo Shannon, serve também como um meio para que os dois países ´´cooperem para desenvolver as nossas próprias indústrias e compartilhem a tecnologia que possuem com outros países´´.Cooperação O memorando firmado durante a visita de Bush ao Brasil estabelece que as duas nações irão cooperar para desenvolver a produção de etanol em uma nação do Caribe ou da América Latina.Os países que poderão ser contemplados com a parceria americano-brasileira são Peru, Colômbia, El Salvador, Honduras, Guatemala, São Cristóvão e Névis, República Dominicana e Haiti.Lula será o primeiro líder latino-americano recebido em Camp David pelo presidente Bush.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.