finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

EUA negam pressão contra países em desenvolvimento

O vice-representante de Comércio dos Estados Unidos, Peter Algeier, confirmou hoje que o seu chefe, Robert Zoelick, manteve encontros bilaterais com países do G-21, o grupo dos países em desenvolvimentos, mas negou que ele tenha oferecido vantagem em troca do abandono do G-21, para enfraquecer o grupo que defende a eliminação completa dos subsídios agrícolas. "As nossas discussões com os países hoje foram mais para encontrar o centro de gravidade, um denominador comum para que as negociações possam avançar. Não negociamos qualquer coisa com estes países", afirmou.Ele disse que não vê a disputa com o G-21 como um confronto entre o Brasil e os Estados Unidos. "Estamos cientes dos interesses do Brasil assim como de outros países. Isto aqui é uma organização com 146 membros, portanto não pode ser um confronto entre dois países". Algeier citou que os representantes norte-americanos se encontraram com países africanos, Colômbia, Equador e Brasil, "mas não como forma de pressão e sim porque eles têm uma compreensão do sistema multilateral de comércio".Em entrevista, que foi interrompida várias vezes por manifestantes, Algeier lamentou a morte do agricultor sul-coreano que ontem se suicidou com uma facada no peito, em protesto contra a OMC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.