EUA oferecem cortar subsídio agrícola para US$ 15 bilhões

Oferta tenta destravar as negociações da Rodada Doha de comércio multilateral, que se realiza em Genebra

Deise Vieira, da Agência Estado,

22 de julho de 2008 | 09h36

Os Estados Unidos ofereceram nesta terça-feira, 22, reduzir seus subsídios agrícolas anuais para US$ 15 bilhões, em um esforço para destravar as negociações da Rodada Doha de comércio multilateral. "Em troca de um resultado ambicioso em termos de acesso ao mercado, estamos preparados para reduzir nossos subsídios domésticos para US$ 15 bilhões", afirmou a representante de comércio dos EUA, Susan Schwab, no segundo dia de encontro em Genebra, onde ministros de vários países estão reunidos para tentar salvar a Rodada Doha.   Veja também: Rodada Doha: entenda o que está em jogo em Genebra Brasil diz que oferta de corte dos EUA não é suficiente Primeiro dia de negociação na OMC foi inútil, diz Amorim Brasil classifica oferta da UE de reduzir tarifa de 'propaganda' UE propõe ampliar corte de tarifa agrícola para 60% Críticas de Amorim podem prejudicar negociações    Schwab foi clara ao indicar que esta proposta deveria dar lugar a concessões dos outros países e que, nesta ocasião, todos têm que tomar "decisões difíceis".   A última proposta que os EUA tinham feito a esse respeito falava em reduzir essas ajudas para US$ 17 bilhões anuais. Atualmente, o limite dos EUA para as subvenções à agricultura é de US$ 48 bilhões, mas a representante americana reconheceu que nunca foi desembolsada essa quantia.   Por outro lado, disse que há cerca de cinco anos essas ajudas alcançaram US$ 24 bilhões, por isso ressaltou que "qualquer um que entenda sobre mercados agrícolas verá a importância do número que agora propomos".   Vários países lembraram nos últimos dias que os EUA gastam atualmente US$ 7 bilhões em subvenções à agricultura, devido aos altos preços dos alimentos nos mercados internacionais, por isso se fosse definido qualquer número superior a US$ 14 bilhões poderia até duplicar essa ajuda.   Sobre essa crítica, Schwab respondeu que "qualquer um que tenha sugerido números fora do texto (agrícola que serve de base para as negociações destes dias) não mostra esforços para concluir a Rodada de Doha".   Na última segunda-feira a União Européia ofereceu ampliar a proposta de corte de tarifa agrícola de 54% para 60%. As informações são da Dow Jones.   (com Efe)

Tudo o que sabemos sobre:
Rodada DohaOMC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.