Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

EUA planejam acusação criminal contra o BNP Paribas

Promotores federais dos EUA planejam entrar com uma acusação criminal contra o BNP Paribas por negociar com países que estão sujeitos a sanções econômicas norte-americanas, incluindo Irã, Sudão e Cuba, segundo uma pessoa com conhecimento do assunto.

AE, Agencia Estado

30 de abril de 2014 | 02h01

Nas últimas semanas, procuradores têm se encontrado com reguladores bancários sobre o assunto, incluindo o regulador financeiro de Nova York Benjamin Lawsky, o escritório de Controle de Ativos Estrangeiros do Departamento do Tesouro e a distrital de Nova York do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos).

As reuniões têm como objetivo garantir que o BNP Paribas não sofra com punições automáticas, como a revogação da licença bancária, que seria a sentença de morte para a instituição financeira, disse uma fonte. Os promotores deverão acusar o banco de violação de leis de sanções.

Se o governo levar adiante as acusações, essa poderá ser a primeira confissão de culpa por um banco em décadas, mas a fonte alertou que as negociações continuam e que ainda não há nada definido.

Outra pessoa com conhecimento do assunto disse que os reguladores consideram banir ou suspender a habilidade do banco de fornecer serviços de clearing em dólar em Nova York, e analisam outras possíveis punições a funcionários individuais.

Uma porta-voz do BNP em Nova York se recusou a comentar sobre o assunto, que foi reportado anteriormente pelo New York Times. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Euabnpacusação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.