EUA podem fazer concessões agrícolas para Doha

Os Estados Unidos estão dispostos afazerem concessões agrícolas importantes como parte de um novoacordo sobre o livre-comércio mundial, caso outros paísesofereçam maior abertura para exportações norte-americanas,afirmou nesta sexta-feira o presidente George W. Bush. "Desejamos fazer concessões importantes no setor agrícola,mas esperamos que outras nações abram seus mercados para bensmanufaturados e serviços", disse Bush, durante uma entrevistacoletiva em conjunto com o primeiro-ministro da Austrália,Kevin Rudd. Bush afirmou que a Rodada de Doha, que está agora no seusétimo ano, foi o grande assunto de sua conversa com Rudd. "Ele disse que é possível ter sucesso na Rodada de Doha.Ele também acredita que nós deveríamos trabalhar para o sucessode Doha", declarou Bush. Na segunda-feira, o negociador-chefe do Brasil para Doha,Roberto Azevedo, afirmou que os negociadores estão mais pertodo que nunca de um acordo, mas ainda não há certeza de sucesso. Os Estados Unidos e a União Européia são pressionados pararealizarem cortes profundos em suas tarifas e subsídiosagrícolas, enquanto as nações em desenvolvimento, como Índia eBrasil, teriam de abrir seus mercados em troca, para um acordoser realizado. Os negociadores têm trabalhado em Genebra visando umapossível reunião ministerial em abril ou maio, quando poderiaocorrer a tão esperada solução para o impasse. "Se toda a economia global precisa de uma injeção deconfiança psicológica no braço, isso poderia ocorrer agora, eisso pode ser alcançado com um resultado positivo em Doha",declarou Rudd. Um acordo bem-sucedido pode apenas ser feito se todos osprincipais players globais --incluindo o Brasil, Índia, EstadosUnidos e União Européia e o grupo de exportadores agrícolasliderado pela Austrália (Cairns)-- fizerem sua parte, disseRudd.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.