EUA podem voltar a comprar carne da Argentina

Os Estados Unidos poderiam voltar a comprar carne da Argentina até o final deste ano, segundo avaliação de técnicos da Secretaria de Agricultura. A última missão sanitária norte-americana, enviada à Argentina em setembro de 2006, reconheceu, no dia 5 passado, que a Patagônia está "livre de aftosa". No próximo dia 8 de fevereiro completará um ano desde o último foco de aftosa, surgido na província de Corrientes. Segundo as normas, ao completar 12 meses desde o último foco, o país pode voltar a comprar carne da zona que tinha sido afetada.Com isso, os Estados Unidos poderiam voltar a importar carne argentina, algo que não ocorre desde 2001, primeiro por causa da febre aftosa na Patagônia, depois em Corrientes. Porém, a aftosa não é a única vilã que impede a Argentina de aproveitar o gigantesco mercado norte-americano. Mesmo que as questões sanitárias sejam superadas, os exportadores têm o problema criado pelas barreiras impostas pelo governo Néstor Kirchner.A limitação das exportações de carne, adotada desde março de 2006, impede as vendas aos Estados Unidos. A medida que visa controlar a alta dos preços internos foi imposta como transitória, mas já está perto de completar um ano e com cara de que continuará por muito tempo mais. De qualquer forma, os negociadores da Secretaria de Agricultura terão uma reunião com os técnicos dos EUA entre abril e maio, onde tentarão acelerar o processo de liberação da carne argentina, segundo informação de fonte da secretaria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.