Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

EUA querem ajuda da China no desenvolvimento da América Latina

O investimento e o comércio chinês na região são pequenos, mas crescem rapidamente

Reuters,

18 de agosto de 2010 | 09h19

Os Estados Unidos esperam que a China tenha um papel maior no desenvolvimento e na geração de empregos da América Latina, onde o investimento e o comércio chinês são pequenos, mas crescem rapidamente, disse uma autoridade norte-americana nesta quarta-feira.

"Nós damos boas-vindas à continuidade do engajamento, investimento e comércio chinês com países do Hemisfério Ocidental. Eu acho que isso ajuda a fortalecer as economias e fornecer emprego para as pessoas nesses países", disse Arturo Valenzuela, principal diplomata do governo Obama para a América Latina.

"Certamente não é de se preocupar, certamente não é uma ameaça", disse ele a jornalistas em Pequim ao ser perguntado se Washington se preocupava sobre qualquer aspecto do relacionamento da China com os países latino-americanos.

A China tem laços fortes com Cuba e Venezuela, e nenhuma das nações possui uma boa relação com os EUA.

Contudo, apenas 5% do comércio chinês se destina à região, acrescentou Valenzuela.

"Se isso puder crescer, seria extremamente valioso", disse o diplomata. "Nosso objetivo fundamental é garantir economias prósperas e em crescimento no Hemisfério Ocidental, e que isso beneficie todos nós."

"O desafio para os países da América Latina é crescer para conseguir superar as desigualdades significativas, bolsões de pobreza muito grandes e coisas como essas", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
euachinamacroeconomiadesenvolvimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.