EUA querem ´aliança´ com Brasil sobre álcool, diz jornal

Nos próximos meses, os Estados Unidos proporão uma "parceria estratégica" com o Brasil para expandir a utilização de álcool e biocombustíveis no continente, reporta nesta segunda-feira o diário Miami Herald. "A idéia é estudar a viabilidade de introduzir álcool em países (do hemisfério), e identificar áreas onde o setor privado poderia investir mais. Outras nações interessadas poderiam se juntar (à iniciativa). O governo dos Estados Unidos entrará com recursos, e o Brasil, possivelmente, também. Espera-se que o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Organização dos Estados Americanos (OEA) também participem", diz o diário.Com a iniciativa, Washington espera "não apenas aumentar a segurança energética e gerar mais empregos nas áreas rurais dos países pobres, mas também impulsionar a boa vontade em relação aos Estados Unidos", afirma o diário, citando "fontes familiares com as negociações".Na área política, o maior fruto da negociação comercial poderia ser uma contenção da influência do presidente venezuelano, Hugo Chávez, no continente, "através do fomento de combustíveis alternativos" ao petróleo venezuelano. Essa leitura, contudo, é rejeitada pelas autoridades na capital americana, diz o Miami Herald.De acordo com o jornal, o subsecretário de Estado americano para Assuntos Políticos, Nicholas Burns, tratará da parceria em uma visita ao Brasil e à Argentina na próxima semana. A matéria afirma que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderia visitar Washington para um evento formal de assinatura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.