EUA querem restringir pacotes de ajuda a emergentes

Como parte de uma estratégia ampla para limitar o contágio de mercados emergentes e restringir os pacotes de ajuda oficiais, os EUA querem melhorar o processo de reestruturação de dívida soberana e fazer com que os credores internacionais passem a oferecer subsídios em vez de empréstimos, disse o subsecretário de Assuntos Internacionais do Tesouro norte-americano, John Taylor."Hoje, quando os países se aproximam de uma situação em que a dívida é insustentável, é como chegar perto de um buraco negro; ninguém sabe exatamente o que irá acontecer", disse Taylor. "Isso leva a incertezas das organizações públicas oficiais e do mercado, e também a pressões para que o FMI libere ajudas financeiras mesmo em situações em que a dívida se torna insustentável".Ele acrescentou que o contágio caiu "dramaticamente" no último ano. Taylor disse que um exemplo disso é a crise econômica argentina, que não se espalhou a outros países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.