coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

EUA recorrerá a fundos de pensão para elevar dívida

O governo dos EUA irá recorrer a dois fundos de pensão do governo para aumentar o limite da dívida de US$ 5,95 trilhões e que deve ser rompido até a próxima quinta-feira, informou o Tesouro. Como o Congresso norte-americano ainda não aprovou a elevação do limite de dívida, o Tesouro informou que pretende retirar US$ 44 bilhões do Fundo de Investimentos em Ativos do Governo do Sistema de Pensão dos Empregados Federais, ou G-Fund, e do Fundo Civil de Serviço de Pensão e Invalidez. Os recursos extras permitirão a criação de espaço para que o governo possa continuar emprestando recursos e financiar as obrigações. Os fundos serão devolvidos totalmente, junto com pagamento de juro, assim que o limite for elevado.O Tesouro informou também a suspensão de novas emissões de papéis estatais e municipais a partir desta quarta-feira, a fim de reduzir as incertezas em relação às necessidades de empréstimo do país e manter o máximo de espaço possível entre o volume de papéis emitidos e o teto permitido.O secretário do Tesouro, Paul O´Neill, disse em carta ao Congresso que, "baseado nas previsões atuais do Tesouro, tais ações devem ser suficientes para permitir o financiamento das operações do governo até meados de junho".O´Neill alertou, no entanto, que, diante das incertezas em relação às receitas com impostos até 17 de junho, o Tesouro pode ter de introduzir outras medidas para permitir que os EUA continuem a emprestar sem exceder o limite da dívida.Em 28 de junho, o Tesouro deve realizar pagamento de juro de aproximadamente US$ 67 bilhões a vários fundos federais, incluindo o de previdência social, disse O´Neill.O Tesouro informou também que "utilizará os recursos em dinheiro disponíveis, incluindo os mantidos no Fed e os depósitos mantidos nos bancos comerciais com os quais o Tesouro compensa as instituições, para serviços essenciais à coleta de receitas do governo. Para reduzir a atual falta de recursos, o Tesouro vai utilizar-se de "todas as fontes de dinheiro disponíveis", as quais ontem totalizavam US$ 30 bilhões, disse O´Neill.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.