EUA reduzem déficit comercial em 5,7%, para US$ 58,2 bi

Em março, importações de carros e petróleo caíram devido aos preços da commodity e da economia fraca

NATHÁLIA FERREIRA, Agencia Estado

09 de maio de 2008 | 09h50

A balança comercial dos Estados Unidos registrou déficit de US$ 58,21 bilhões em março, queda de 5,7% ante o déficit de US$ 61,71 bilhões contabilizado em fevereiro. O saldo comercial foi reduzido à medida que as importações de carros e de petróleo caíram por conta dos preços recordes da commodity e da economia americana mais fraca. Economistas esperavam um déficit em março de US$ 61,50 bilhões.   Veja também:   Cronologia da crise financeira  Entenda a crise nos Estados Unidos   Segundos os dados divulgados nesta sexta-feira, 9, pelo Departamento de Comércio dos EUA, as exportações em março caíram 1,7%, para US$ 148,51 bilhões, de US$ 151,10 bilhões no mês anterior. As importações declinaram a um ritmo mais acelerado, em 2,9%, para US$ 206,72 bilhões, de US$ 212,82 bilhões. Foi a maior queda nas importações desde dezembro de 2001.   O superávit comercial dos EUA com o Brasil diminuiu para US$ 73 milhões, em março, de US$ 167 milhões, em fevereiro. Com a China, o déficit dos EUA caiu para o menor nível em dois anos, já que as exportações subiram para o segundo maior nível já registrado - US$ 6,53 bilhões. O gap bilateral diminuiu para US$ 16,08 bilhões, de US$ 18,36 bilhões no mês anterior.   O déficit com o Japão cresceu de US$ 6,88 bilhões para US$ 7,49 bilhões, enquanto o resultado negativo com a zona do euro aumentou de US$ 6 bilhões para US$ 6,19 bilhões. O déficit com o Canadá cresceu de US$ 6,46 bilhões para US$ 6,48 bilhões. Com o México, o déficit dos EUA também ficou maior, passando de US$ 5,50 bilhões para US$ 5,97 bilhões.   A conta de importações de petróleo dos EUA aumentou em março para US$ 25,03 bilhões, de US$ 24,28 bilhões em fevereiro, diante da elevação dos preços do petróleo para novas máximas, informou o Departamento de Comércio. O preço médio do barril de petróleo saltou US$ 5,09 para US$ 89,85. Já os volumes de importação de petróleo caíram para 278,57 milhões de barris, de 286,48 milhões.   Os EUA pagaram US$ 33,15 bilhões por todos os tipos de importação relacionadas a energia, acima dos US$ 31,36 bilhões de fevereiro.   As importações de suprimentos industriais declinaram US$ 2,05 bilhões em março, enquanto as importações de alimentos caíram US$ 87 milhões. As importações de automóveis e peças relacionadas recuaram US$ 2,09 bilhões.   As importações de produtos de consumo feitos no exterior, como vestuário e materiais residenciais, caíram US$ 1,13 bilhão. As compras em março bens de capital produzidos no exterior, como acessórios para computador, recuaram US$ 841 milhões em março.   Sobre as exportações, as vendas de bens de consumo declinaram US$ 731 milhões em março. Já as exportações de bens de capital caíram em US$ 1,22 bilhão. As exportações de automóveis recuaram US$ 953 milhões, enquanto as de suprimentos industriais caíram US$ 81 milhões. As vendas para o exterior de alimentos e bebidas subiram US$ 267 milhões em março. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Balança comercialEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.