EUA têm maior expansão em 4 anos, mas Wall St ainda teme

A economia norte-americana cresceuno terceiro trimestre à taxa mais forte em quatro anos, apesarde dar sinais de que desde então desacelerou e deve seguirnesse caminho em 2008. O Departamento de Comércio informou que o Produto InternoBruto (PIB) do país cresceu 4,9 por cento em termosanualizados, segundo a leitura final do dado que não foialterada em relação à divulgação preliminar. Foi a maior expansão desde o terceiro trimestre de 2003,quando o PIB saltou 7,5 por cento. Mais exportações e formação de estoques contribuíram para aaceleração do crescimento no terceiro trimestre em relação àexpansão de 3,8 por cento no segundo trimestre, mas analistasdizem que a crise de crédito irá resultar em um avanço daeconomia de 1 por cento ou menos no quarto trimestre. No terceiro trimestre, o investimento imobiliário despencou20,5 por cento, a maior queda desde o primeiro trimestre de1991, quando a economia estava caminhando para uma recessão. Os dados do PIB mostraram ainda que uma das medidas deinflação preferidas do Federal Reserve, o índice de gasto comconsumo pessoal (PCE, na sigla em inglês), subiu 2 por cento noterceiro trimestre, taxa revisada em relação à estimativapreliminar de 1,8 por cento. Para o economista Kurt Karl, do Swiss Re, o dado doterceiro trimestre parece "irrealista" quando se leva em contao desempenho atual da economia. "A probabilidade continuacrescendo em direção a uma recessão", disse. A leitura do trimestre anterior é considerada ultrapassadapor Wall Street, mas o primeiro dado sobre o quarto trimestrenão estará disponível até o final de janeiro. (Por Glenn Somerville)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.