Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

EUA têm maior expansão em quatro anos no 3º trimestre

Produto Interno Bruto do país cresceu 4,9% em taxa anualizada, em vez dos 3,9% reportados há um mês

Glenn Sommerville, da Reuters,

29 de novembro de 2007 | 12h12

A expansão mais forte dos estoques e o bom desempenho das exportações impulsionaram o crescimento dos Estados Unidos para o maior nível em quatro anos no terceiro trimestre, informou o governo nesta quinta-feira, 29, ainda que o ritmo de expansão já esteja diminuindo.  O Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 4,9% em taxa anualizada, em vez dos 3,9% reportados há um mês. Foi o maior crescimento trimestral desde o terceiro trimestre de 2003, quando o PIB subiu 7,5%. O resultado superou levemente as expectativas de Wall Street, que previa alta de 4,8%.  O governo revisa os dados do PIB duas vezes após divulgar a estimativa inicial, e vai publicar o resultado final do terceiro trimestre em 20 de dezembro. A desaceleração do mercado imobiliário e a queda na confiança dos consumidores devem afetar a expansão no quarto trimestre, e analistas dizem que o risco de recessão no próximo ano está aumentando.  As empresas aumentaram os estoques em um ritmo duas vezes maior do que o estimado inicialmente pelo governo no terceiro trimestre - US$ 32,9 bilhões em taxa anualizada, em vez de US$ 15,7 bilhões. O crescimento dos estoques ajuda a expansão e provavelmente refletiu a preparação para a temporada de compras de fim de ano. O desempenho futuro, no entanto, pode ser afetado se as vendas não atingirem as expectativas.

Tudo o que sabemos sobre:
PIBEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.