EUA tentam barrar especulação do petróleo

Quatro anos atrás, o barril do petróleo custava US$ 40. Na última sexta-feira (dia 27), fechou a US$ 140,21 o barril, em novo nível recorde. Muitos prevêem que chegará aos US$ 180 o barril no fim do verão do Hemisfério Norte. Para muitos legisladores, só oferta e demanda não explicam esses preços históricos. Há algo de podre no mercado de papéis futuros de petróleo.Na semana passada, o senador americano Joe Lieberman propôs uma série de medidas para acabar com a especulação no mercado de petróleo. Lieberman, assim como um número crescente de especialistas, acha que o aumento da demanda da China e da Índia, a queda do dólar, a falta de investimento e redução na produção não são os únicos culpados pelos preços recordes do petróleo. Especulação no mercado futuro está por trás de grande parte da alta dos preços. Segundo analistas, se os especuladores fossem banidos do mercado, o barril do petróleo poderia cair para até US$ 60. Lieberman propõe banir os fundos de pensão e de proteção (hedge) do mercado de petróleo. Esses fundos, que investiam pouco mais de US$ 15 bilhões em matérias-primas (commodities) até o ano 2000, hoje ultrapassam os US$ 250 bilhões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.