David Gray/Reuters - 31/10/2010
David Gray/Reuters - 31/10/2010

EUA tentam reduzir dependência de minério da China

Pentágono apresenta relatório e governo chinês adverte para que norte-americanos não subestimem a capacidade de Pequim

O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2019 | 20h11

WASHINGTON - No dia em que governo da China e a imprensa estatal do país reforçaram a retórica contra os Estados Unidos, ao lembrarem que poderiam usar terras-raras na disputa comercial, o Departamento de Defesa americano apresentou um relatório ao Congresso para reduzir a dependência americana do minério da China.

O jornal estatal Diário do Povo afirmou que os Estados Unidos não devem subestimar a capacidade de Pequim de adotar medidas retaliatórias para salvaguardar seus interesses.

Em Washington, embora o Pentágono não tenha fornecido detalhes do relatório, ele disse que está vinculado a um programa federal destinado a reforçar a capacidade de produção doméstica, oferecendo incentivos econômicos “sob medida”.

“O departamento continua a trabalhar em estreita colaboração com o presidente, o Congresso e a base industrial para diminuir a dependência americana da China de terras-raras”, disse à Reuters um porta-voz, o tenente-coronel Mike Andrews.

O programa Americano DPA Title III foi projetado “para criar, manter, proteger, expandir ou restaurar a capacidade da base industrial doméstica”, segundo um site do Departamento da Defesa.

As notícias do dia mexeram com o mercado ao jogarem um balde de água fria na expectativa de que as duas maiores economias do mundo cheguem a um acordo comercial. Nos Estados Unidos, as principais Bolsas fecharam em queda.

A China foi responsável por 80% das importações de terras-raras dos EUA entre 2014 e 2017. / AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.