Eucatex entra com pedido de concordata preventiva

A Eucatex S.A. Indústria e Comércio e a Eucatex Química e Mineral Ltda, empresas do ex-prefeito de São Paulo, Paulo Maluf, requereram hoje concordata preventiva no Fórum de Salto (SP), onde estão sediadas. A companhia alega estar sendo pressionada pelos credores e ter sofrido com a desvalorização do real frente ao dólar.A Eucatex pretende se beneficiar da da moratória judicial, assumindo o compromisso de pagar integralmente os seus débitos em duas prestações anuais, com juros de 6% ao ano. A primeira, no montante de 40% do passivo será paga dentro de um ano e o saldo ao término do segundo ano.A Eucatex não divulgou o montante de seu passivo e pediu prazo de 30 dias para juntar os balanços especiais e demais documentos exigidos por lei. Caberá à juíza Renata Cristina Rosa da Costa e Silva proferir a decisão, acolhendo ou rejeitando os requerimentos, assinados pelos advogados Murilo da Silva Freira e Ricardo Tosto de Oliveira Carvalho.A Eucatex S.A. foi fundada em 30 de novembro de l951, na cidade de Salto, com capital social integralizado de 10 milhões de cruzeiros. Ao longo dos últimos 50 anos, passou por inúmeras alterações e transformações, ampliando a gama de suas atividades. Apesar de tradicionalmente conhecida pela fabricação de chapas de madeira, a Eucatex ampliou e diversificou sua atividade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.