Eugênio Staub reassume presidência da Gradiente

O executivo Nelson Bastos deixou a presidência-executiva da Gradiente. Eugênio Staub reassumiu o cargo, passando a acumular também a presidência do Conselho de Administração da empresa. Bastos, que ao lado de Staub foi fundador da Gradiente e ainda é acionista minoritário da empresa, foi contratado em outubro do ano passado para negociar um plano de reestruturação com credores e buscar potenciais investidores. Entretanto, divergências sobre a condução das negociações com os credores e investidores teriam tornado a relação entre os dois insustentável.Uma das condições impostas pelos investidores, e que também era defendida por Bastos, era a saída de Staub do controle acionário. No entanto, o empresário resistia à idéia e insistia em buscar outras alternativas. A Gradiente acumula uma dívida de cerca de R$ 300 milhões com um grupo de 20 credores, entre bancos e fornecedores, e está praticamente parada. A fábrica de Manaus não produz um eletroeletrônico desde agosto, e há meses os varejistas pararam de vender o que tinham em estoque, por falta de garantias e assistência técnica.Em uma nota divulgada ontem, Staub afirma que pretende indicar um novo executivo para o cargo de presidente ?assim que a empresa estiver em uma situação econômica mais estável?. Procurado pela reportagem, Bastos não retornou as ligações. Na mesma nota divulgada pela Gradiente, o executivo diz que sua saída se dá ?por razões de natureza pessoal e profissional?.LulaNa semana passada, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez as ações da companhia dispararem na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), ao acenar com uma possível ajuda do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Em visita à Zona Franca de Manaus, Lula declarou que faria ?tudo o que estivesse a seu alcance? para salvar a companhia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.