Jefferson Rudy/Agência Senado
Jefferson Rudy/Agência Senado

Eunício diz que reforma da Previdência deve ser encaminhada por presidente eleito

Presidente do Senado ainda afirmou que há empecilhos para a votação da matéria, como a intervenção militar no Rio de Janeiro

Camila Turtelli, Mariana Haubert, O Estado de S.Paulo

06 Novembro 2018 | 11h02

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), disse nesta terça-feira, 6, que a reforma da Previdência precisa ser encaminhada pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro. Ele se esquivou de responder com precisão se acha possível aprovar  o projeto que já está tramitando no Congresso, enviado pela equipe do presidente Michel Temer,  ainda este ano e disse não saber se isso acontecerá.

Ele lembrou de alguns empecilhos para que o tema seja votado, como a intervenção militar no Rio de Janeiro - que impede a votação de qualquer emenda à Constituição durante sua vigência. "Vamos tocar as matérias que estão no Congresso Nacional", disse sobre os próximos meses.

A reforma da Previdência vem sendo apontada pela equipe de Jair Bolsonaro como um dos pilares da política econômica do novo governo, mas está cercada de dúvidas. Não há clareza se será enviado um projeto completamente novo sobre o tema no ano que vem ou se haverá uma tentativa de aprovar alguma coisa da proposta de Temer que está no Congresso.

Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, 5, em entrevista à TV Bandeirantes, que ainda "não está batido o martelo" sobre a reforma da Previdência com o economista Paulo Guedes, seu futuro ministro da Economia. Ele disse ver com "desconfiança" a ideia de Guedes de substituir o modelo atual, no qual quem está trabalhando paga, com suas contribuições, o salário de quem se aposentou, por um que pressuponha uma poupança individual do trabalhador – chamado de regime de capitalização.

"Não está batido o martelo, tenho desconfiança. Sou obrigado a desconfiar para buscar uma maneira de apresentar o projeto. Tenho responsabilidade no tocante a isso aí", afirmou Bolsonaro. "Quem vai garantir que essa nova Previdência dará certo? Quem vai pagar? Hoje em dia, mal ou bem, tem o Tesouro, que tem responsabilidade. Você fazendo acertos de forma gradual atinge o mesmo objetivo sem levar pânico à sociedade", acrescentou.

Sessão solene

Toda a cúpula da República brasileira participa de sessão solene comemorativa pelos 30 anos da promulgação da Constituição Federal. Estão sentados à Mesa do Congresso, além de Eunício, o presidente Michel Temer, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e o ex-presidente da República José Sarney.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.