carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Euro causou inflação, dizem espanhóis

Quase um ano após a entrada em vigor do euro, uma pesquisa realizada com mais de 5 mil consumidores espanhóis aponta que 93% dos consumidores acreditam que a nova moeda européia encareceu os preços no país. Segundo a pesquisa, apenas 7% dos consumidores acreditam que os preços se mantiveram estáveis depois do fim da peseta. O estudo foi feito pelo Instituto de Empresa, com sede em Madri.Diante do resultado do estudo, os pesquisadores concluíram que o impacto do euro sobre os preços foi pior do que o previsto pelos economistas e pelos consumidores, nos meses que antecederam o lançamento da moeda única da União Européia (UE).Em 2001, um estudo também realizado na Espanha apontou que 38% dos consumidores acreditavam que os preços se manteriam estáveis depois da troca de moedas. "O euro foi um elemento chave na definição da inflação na Europa em 2002", afirmou Sánchez Suárez, professor do Instituto de Empresa e autor do estudo.Apesar das queixas com relação aos efeitos do euro, o estudo aponta que a adaptação da população à nova moeda não encontrou dificuldades, principalmente entre os jovens espanhóis. Ao final do primeiro mês do euro, mais de 80% das compras já eram feitas com a nova moeda em toda a Europa.A pesquisa ressalta que as pessoas com mais de 60 anos não tiveram a mesma facilidade em se adaptar ao euro. Uma a cada três pessoas nessa faixa de idade declarou que a adaptação ao euro foi difícil. Em Portugal e na Itália, por exemplo, as igrejas dos locais mais afastados foram incumbidas de ajudar a população mais idosa a entender a mudança no câmbio. Entre os jovens, apenas 13% afirmaram ter tido dificuldades em adotar a nova moeda.

Agencia Estado,

29 de novembro de 2002 | 15h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.