Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Euro opera quase estável com fraca negociação antes do fim do ano

Moeda continuou a operar confortavelmente acima de US$ 1,30, após a Itália vender € 9 bilhões em títulos públicos de seis meses

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

28 de dezembro de 2011 | 12h01

LONDRES - O euro e outras moedas sensíveis ao risco, como a libra, ganharam terreno ante o dólar, mostrando uma pequena reação ao bem sucedido leilão de títulos públicos de seis meses do governo italiano, enquanto as fracas condições de liquidez prevaleceram na preparação para o feriado do fim de ano.

O euro continuou a operar confortavelmente acima de US$ 1,30, após a Itália vender € 9 bilhões em títulos públicos de seis meses com um yield (retorno ao investidor) de 3,251%, menor que o yield pago na oferta anterior. A oferta ajudou os mercados acionários a acentuarem seus ganhos e os yields dos bônus soberanos de países da zona do euro a recuarem.

Mas a reação dos mercados cambiais foi menos pronunciada, mesmo com a volta dos traders de Londres após o fim de semana de Natal. A libra e as moedas ligadas a commodities, como os dólares da Austrália, da Nova Zelândia e do Canadá foram negociados dentro de faixas estreitas em relação ao dólar.

A coroa sueca subiu brevemente ante o dólar após a divulgação dos dados de varejos do país, que mostraram vendas surpreendentemente fortes em novembro.

Diante da ausência de indicadores econômicos na agenda de hoje dos EUA, o volume de negociação deverá continuar baixo nas primeiras horas da sessão norte-americana.

Nos mercados emergentes, o rublo ficou sob pressão após o Banco Central russo adotar medidas ontem para permitir uma volatilidade maior da moeda. A autoridade monetária ampliou a margem de oscilação do rublo contra uma cesta de moedas composta por dólares e euros e, ao mesmo tempo, reduziu o montante de recursos que utilizará nas intervenções conduzidas antes de mover os limites da margem, disse o banco central em nota.

Outra moeda que ficou sob os holofotes foi o zloti polonês que manteve um tom positivo ante o euro, devido ao aumento da atividade do banco estatal BGK, de acordo com traders locais. "o BGK mudou a forma como opera no mercado e está fornecendo uma oferta estável de euros por meio de bancos selecionados", afirmou um dealer.

Às 11h (de Brasília), o euro estava em US$ 1,3071, de US$ 1,3068 no fim da terça-feira em Nova York. O dólar operava em 77,64 ienes, de 77,89 ienes. O euro era negociado em 101,47 ienes, 101,77 ienes ontem. A libra operava US$ 1,5673, de US$ 1,5658. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
leilãoItáliaeuro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.