Eurogroup deve aprovar resgate a setor bancário espanhol

Ministros das Finanças da zona do euro devem aprovar um acordo nesta sexta-feira para emprestar até 100 bilhões de euros à Espanha para que o país possa recapitalizar seus bancos, mas o tamanho exato do empréstimo provavelmente só será determinado em setembro.

JAN STRU, Reuters

20 de julho de 2012 | 13h39

A expectativa é de que os ministros elaborem durante uma teleconferência um longo memorando de entendimento com a Espanha detalhando os termos da ajuda, que será totalmente desembolsada até o final de 2013.

Mas antes que a Espanha possa decidir exatamente quanto dinheiro precisa, o país tem que primeiro dos resultados de uma auditoria em seu setor bancário, que sofre com a inadimplência no setor imobiliário.

"O plano é apoiar formalmente o esboço como ele está", disse uma autoridade da zona do euro sobre a teleconferência, que estava marcada para começar às 7h, horário de Brasília.

"Todo o resto virá mais tarde no ano, com os resultados dos testes de estresse dos bancos em setembro esclarecendo as necessidades de recapitalização e abrindo caminho para que planos de reestruturação sejam redigidos em outubro, como definido no cronograma anexado ao memorando de entendimento."

O objetivo do resgate bancário, junto com novas medidas de austeridade e metas fiscais mais brandas acordadas com Madri, é evitar um resgate soberano que a zona do euro praticamente não poderia dispor.

O Parlamento aprovou na quinta-feira um pacote de 65 bilhões de euros em cortes de gastos e altas de impostos que deve aprofundar a recessão que já afeta a Espanha.

Segundo o memorando do resgate, 14 grupos bancários que respondem por até 90 por cento do sistema espanhol serão testados para ver sua necessidade de recapitalização em uma avaliação a ser finalizada até a segunda metade de setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUROGROUPRESGATE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.