Eurogrupo busca livrar Grécia de calote

Ministros de finanças se reuniram ontem e deixaram para julho decisão sobre desembolso

Agências Internacionais, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2011 | 00h00

Os ministros de Finanças da zona do euro (Eurogrupo) encerraram sem acordo a reunião, realizada ontem, para discutir como deve ser feito o desembolso da próxima parcela do pacote de ajuda de 110 bilhões aprovado pela União Europeia e o Fundo Monetário Internacional (FMI) em março do ano passado.

Embora na sexta-feira, o FMI tenha anunciado a liberação de 12 bilhões, o presidente do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, já havia adiantado que "nada estava acertado".

"Foi impossível tomar uma decisão hoje sobre o desembolso", disse o ministro belga das finanças, Didier Reynders, em declarações à imprensa no fim do encontro, que durou mais de sete horas e avançou a madrugada desta segunda-feira.

"Foi impossível tomar uma decisão porque precisamos primeiro de uma posição clara por parte do Parlamento Grego. No início de julho decidiremos e organizaremos o desembolso em meados do mês", explicou Reynders.

Segundo os ministros, três condições devem ser cumpridas antes do desembolso: a aprovação, por parte do Parlamento Grego, do programa associado à ajuda; avanços nas definições do plano de resgate a longo prazo como pede o FMI; e a definição do papel do setor privado no pacote de ajuda.

"Não posso imaginar nem por um segundo que possamos nos comprometer a ajudar a Grécia" sem contar com um compromisso das autoridades gregas com o programa, disse Juncker no fim da reunião.

Sobre o envolvimento do setor privado, Juncker disse que o Eurogrupo aceitou o acordo "franco-alemão" de optar por uma participação voluntária.

Participação privada. Na sexta-feira, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente francês, Nicolas Sarkozy, concordaram que o novo socorro precisaria ter a adesão "voluntária" dos credores privados, ideia até então repudiada pela França e que ainda não tem o aval do Banco Central Europeu.

Ontem, durante o encontro, os ministros do Eurogrupo fizeram uma teleconferência com os chefes de finanças dos Estados Unidos, Canadá, Japão e Reino Unido para atualizá-los sobre as discussões a respeito da Grécia. A próxima reunião dos ministros será nos dias 11 e 12 de julho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.