Europa abre novos processos contra a Microsoft

A Comissão Européia abriu hoje duas novas investigações antitruste contra a Microsoft, diante das queixas de que a companhia continua a abusar de sua posição dominante no mercado por meio do pacote de programas Office e do navegador de Internet Explorer. O órgão investiga se a Microsoft recusou-se ilegalmente a divulgar "informações de interoperabilidade" a respeito de um conjunto de produtos, incluindo o Office, impedindo os concorrentes de criar produtos compatíveis.O processo resulta de uma queixa formulada por algumas das principais concorrentes da Microsoft, incluindo a IBM e a Oracle, juntamente com o Comitê Europeu para Sistemas Interoperacionais (ECIS, na sigla em inglês).A segunda área na qual a comissão investiga a Microsoft é a dos navegadores de internet ("browsers"), na qual a empresa é acusada de ligar o Explorer ao sistema operacional Windows de forma a afastar os competidores do mercado. O processo surgiu a partir de uma queixa da norueguesa Opera Software, fornecedora de browsers.Os dois novos processos aparecem poucos meses depois de a Microsoft ter jogado a toalha numa batalha antitruste de nove anos com os reguladores da União Européia. A companhia decidiu não contestar o resultado do julgamento de uma corte que em setembro rejeitou as apelações da Microsoft contra uma decisão proferida pela União Européia em 2004. O julgamento resultou em multas no total de 497 milhões de euros (US$ 739,3 milhões) para a empresa de software. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.