Europa: bolsas fecham em queda com leve realização de lucros

Revisões negativas na recomendação das ações das montadoras Daimler e Volkswagen colaboraram com baixa

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

10 de agosto de 2009 | 14h59

As principais bolsas europeias fecharam em baixa nesta segunda-feira, 10, pressionadas pela realização de lucros - particularmente entre os papéis de mineradoras e bancos - e por revisões negativas na recomendação das ações das montadoras Daimler e Volkswagen, numa sessão carente de indicadores econômicos.

 

O índice pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 caiu 0,5%, para 229,45 pontos. Na sexta-feira, o índice fechou a sessão no maior nível desde 4 de novembro.

 

Estrategistas de mercado de ações europeu do Morgan Stanley disseram que as bolsas devem seguir uma tendência de alta até o ano que vem. Segundo eles, a análise de dezenove situações de mercado baixista revelou que o processo de recuperação dura 17 meses em geral e consiste num avanço de 71% em relação às mínimas. "A Europa agora está 42% acima das mínimas após cinco meses", acrescentaram.

 

Em termos de mercados locais, o índice FTSE-100 da Bolsa de Londres recuou 9,36 pontos (0,20%), para 4.722,20 pontos. Em Frankfurt, o índice Xetra-DAX caiu 40,84 pontos (0,75%), para 5.418,12 pontos. Na Bolsa de Paris, o CAC-40 teve queda de 16,60 pontos (0,47%), para 3.504,54 pontos. Em Madri, o índice IBEX-35 recuou 24,60 pontos (0,22%), para 10.923,00 pontos.

 

Os bancos e as mineradoras tiveram um desempenho fraco na sessão. De acordo com analistas da Dolmen Securities, os dois setores estão particularmente vulneráveis à realização de lucros "conforme crescem os números sobre a deterioração no setor financeiro e circulam rumores de que os chineses reduzirão o volume de empréstimos para desinflar uma bolha alimentada pelo crédito".

 

O Société Generale perdeu 1,4% e a Xstrata caiu 3,1%.

 

As ações da Rio Tinto recuaram 3,2% em Londres em meio a notícias de que um órgão de fiscalização do Partido Comunista da China acusou a companhia de prejudicar os interesses econômicos chineses e de cobrar um preço excessivo pelo minério de ferro nos últimos anos.

 

Os papéis da Daimler caíram 3,7% após o Morgan Stanley reduzir a recomendação da montadora para "underweight" (abaixo da média). A Volkswagen também fechou em baixa de 7,5% depois de a recomendação de suas ações ter sido rebaixada para "underweight" pelo HSBC.

 

A seguradora Friends Provident subiu 7% depois de receber uma oferta de compra mais alta da Resolution. As ações da francesa Publicis avançaram 4,3% após a companhia anunciar, no fim de semana, que comprará a Razorfish - unidade de publicidade digital da Microsoft - por US$ 530 milhões.

 

O banco belga KBC fechou em alta de 13,2% após ter a recomendação de suas ações elevada para "comprar" pelo ING. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsasmercado financeiroEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.