Europa dá como certo acordo com Mercosul até outubro

A União Européia dá como certa a conclusão das negociações comerciais com o Mercosul até antes de outubro deste ano e, com isso, a assinatura de um acordo de livre comércio entre os dois blocos que poderá entrar em vigor já em 2005. Em comunicado distribuído hoje pela porta-voz da Comissão de Comércio da União Européia, Arancha Gonzalez, a Comissão informa que os chefes de Estado e de governo europeus estão sendo recomendados a adotar decisões concretas já durante a reunião de cúpula entre a América Latina e a União Européia que será realizado entre os dias 26 e 29 de maio, em Guadalajara, no México.Entre as recomendações, a Comissão propõe transformar a integração regional e a coesão social nos temas centrais da cúpula de Guadalajara. O texto recomenda claramente estimular os avanços no programa de negociações do acordo de associação entre os dois blocos, acertado em 12 de novembro de 2003, durante a última reunião ministerial. "Nas circunstâncias apropriadas, isso permitirá concluir as negociações antes de outubro deste ano", diz o texto da Comissão de Comércio distribuído pela porta-voz. E acrescenta: "A Comissão (de Comércio, cujo responsável é Pascal Lamy) confia em que as suas propostas sobre esses aspectos sejam acolhidas favoravelmente pelos chefes de Estado e de governo e fiquem refletidas nas conclusões da cúpula (de Guadalajara)". No comunicado, a Comissão afirma ainda que Bruxelas espera colocar no centro das discussões na cidade mexicana o aprofundamento dos processo de integração regional iniciados na América Latina. "Em termos econômicos, ajudará a região a se desenvolver e facilitará a inserção dos países nos mercados internacionais", diz o documento da Comissão. Para os europeus, a integração regional é a condição básica sobre a qual a União Européia está disposta a negociar tratados de livre comércio na região. Em Guadalajara, os europeus vão incentivar os latino-americanos a não medir esforços para sua integração, a exemplo do Mercosul.Ontem, os ministros de Agricultura e de Desenvolvimento, Indústria e Comércio exterior, Roberto Rodrigues e Luiz Fernando Furlan, respectivamente, reconheceram os grandes avanços no entendimento com os europeus e disseram que as chances de o acordo ser concluído até outubro chegavam aos 70%. "É onde temos maiores esperanças", resumiu Rodrigues, que participou de um seminário sobre agribusiness em São Paulo. Para ele, as ofertas entre os dois blocos foram muito mais abrangentes do que as que ocorreram no âmbito da Área de Livre Comércio das Américas (Alca). Furlan declarou, também no mesmo seminário, que tudo (os avanços) indicava para a concretização de um acordo entre os dois blocos até outubro."A União Européia continuará negociando com o Mercosul de forma que o acordo seja realmente ambicioso e completo, sem limitar-se aos respectivos compromissos adquiridos no âmbito da Organização Mundial do comércio", acrescenta o documento distribuído pela porta-voz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.