Europa descarta avançar negociação agrícola com Mercosul

O principal negociador europeu para o Mercosul, Karl Falkenberg, afirmou hoje à Agência Estado que o acesso de mercado para produtos agrícolas não ocupará "parte substantiva" da rodada de negociações entre Mercosul e União Européia (UE), em Assunção, na próxima semana, mesmo que a reforma da Política Agrícola Comum (PAC) seja concluída nos próximos dois dias. Falkenberg diz que os europeus não farão esforço na próxima semana, porque o estabelecido no programa de trabalho é que as discussões "efetivas sobre acesso de mercado agrícola" ficariam para o final, na ocasião do encontro ministerial do segundo semestre.Compras do governoEle criticou a posição do bloco sul-americano de não ter apresentado oferta na área de compras governamentais. "Estamos desapontados com a escolha do Mercosul", disse Falkenberg, diretor do Departamento de Comércio da Comissão Européia. Segundo ele, este foi o primeiro "descumprimento" do programa de trabalho estabelecido no Rio de Janeiro, julho do ano passado. "Eu temo que isto crie um problema para a semana de Assunção".A proposta para compras governamentais devia ter sido trocada junto com serviços e investimentos, no dia 22 de maio, mas ficou de fora por resistência do Brasil em se comprometer com acesso para fornecedores europeus participarem das concorrências públicas nas aquisições feitas pelo governo federal. "A única informação que tivemos é que o Mercosul não estava preparado" para colocar a oferta sobre a mesa, disse Falkenberg.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.