Europa diz que oferta ao Mercosul é um marco histórico

O comissário europeu de comércio, Pascal Lamy, disse hoje que a oferta da União Européia para o Mercosul é a maior já feita pela região em agricultura e "um marco" para a comunidade européia. "Nunca a União Européia fez uma oferta em negociações bilaterais tão aberta em agricultura quanto a que estamos fazendo ao Mercosul", disse Lamy, durante a Unctad. "Basta ver a gritaria que criou na Europa", disse.Apesar da comemoração, ele reclamou do descompasso entre a disposição dos ministros do Mercosul e a eficácia dos técnicos em concretizar as propostas. "Se as coisas só acontecem no nível político, temos um problema. Se precisarmos de encontros de ministros para avançar, teríamos de ter dez reuniões até outubro", disse, numa referência ao prazo previsto para a conclusão do acordo.Sobre compras governamentais, uma das principais sensibilidades do Mercosul em relação à proposta da UE, Lamy declarou que não se opõe ao argumento de se reservar uma parte das compras a empresas nacionais, mas quer uma proposta na mesa, para que as compras sejam feitas de forma "estável, previsível e transparente." Ele afirmou que houve avanço nas conversas com os cinco países mais sensíveis em agricultura, realizada no domingo, também em São Paulo, para as negociações da Organização Mundial de Comércio. "Os EUA aceitaram a condicionalidade para a OMC, agora é passar para como fazer isso", disse. "Pela primeira vez, eles falaram em eliminar subsídios indiretos à exportação, não só em reduzi-los. "É como o desarmamento. O objetivo é eliminar para que não existam mais."

Agencia Estado,

14 de junho de 2004 | 18h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.