Europa reafirma intenção de aplicar sanções contra os EUA

A porta-voz do comissário europeu de comércio, Pascal Lamy, afirmou à Agência Estado que a União Européia (UE) "apenas concordou" com o pedido dos Estados Unidos de nove dias suplementares dentro do processo da Organização Mundial do Comércio (OMC) sobre as sobretaxas norte-americanas aplicadas ao aço. "O que é um procedimento normal", acrescentou. A porta-voz Arancha Gonzalez reforçou que as sanções comunitárias de US$ 2,2 bilhões contra importações americanas entram em vigor automaticamente no dia 15 de dezembro, caso os Estados Unidos não eliminem suas sobretaxas. A adoção formal do relatório da OMC, que condenará as sobretaxas americanas ao aço, foi adiado ontem para o dia 10 dezembro, em vez de dia 1º, como estava previsto. O adiamento foi acordado após a solicitação dos Estados Unidos aos oito protagonistas da disputa do aço (UE, Brasil, Japão, China, Nova Zelândia, Suiça, Noruega e Coréia do Sul). Arancha disse que os amercianos alegaram que o presidente George W. Bush precisa deste tempo suplementar para tomar sua decisão. Ela assegurou que não houve sinais de nenhum órgão dos Estados Unidos de que o impasse possa ser resolvido neste meio-tempo. "Qualquer previsão é pura especulação", disse Arancha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.