Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Europa viola regras ao impedir entrada de transgênicos

A Organização Mundial do Comércio (OMC) concluiu que a Europa violou regras internacionais ao ter impedido a entrada de sementes transgênicas em seu mercado de produtos feitos. Argentina, Canadá e Estados Unidos se queixaram à entidade máxima do comércio e agora conseguiram a condenação dos europeus. O Brasil participou do caso como terceira parte interessada, já que a decisão poderá orientar a política que o País adotará nos próximos anos em relação ao setor.A barreira aos produtos foi imposta pela Europa entre 1998 e 2004. Mas os países que exportam produtos transgênicos alertavam que a moratória não era baseada em resultados científicos, e tinha como objetivo apenas fechar o mercado europeu contra a concorrência externa.Apesar da condenação, os europeus já alertaram que a decisão na OMC não afetará suas políticas no setor. "A Europa continuará a estabelecer suas próprias regras sobre a importação e venda de alimentos transgênicos", afirmou a Comissão Européia, que lembra que aprovou a comercialização de nove produtos com modificações genéticas desde maio de 2005. Perdas Os Estados Unidos reclamam que perderam mais de US$ 300 milhões por ano por causa das barreiras. A moratória européia acabou em 2004, mas os países exportadores de produtos agrícolas decidiram manter a disputa na OMC para garantir agora que toda a barreira que venha a ser estabelecida seja criada apenas a partir de razões cientificas, e não motivos comerciais ou políticos. Em seu relatório de mais de mil páginas, a OMC não entra no debate se as sementes transgênicas são seguras ou não em termos de consumo. "Está claro que americanos, canadenses e argentinos não conseguirão usar essa decisão para forçar outros países a aceitar produtos transgênicos", afirmou um especialista do Greenpeace, Eric Gall. De outro lado, a Monsanto afirmou ter ficado satisfeita com a decisão.

Agencia Estado,

11 de maio de 2006 | 17h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.